Perfis Psicológicos e a Construção de Polêmicas Propositais

Vejo pessoas chocadas porque um participante de um reality show de uma emissora carioca agiu e contou histórias que dão margem para achar que ele é um estuprador e pedófilo. A seguir num outro programa da mesma emissora chamaram especialista pra defender as atitudes dele.

Minha relação com o tal programa ao longo de mais de uma década foi de curiosidade, para indiferença, para ódio, para ódio exposto na internet, para indiferença de novo, tanto que parei de falar sobre há um certo tempo e esse é o estado em que me encontro e que acho que continuará até a sua 100ª edição se eu ainda estiver vivo.

Recentemente participei de um treinamento onde grupos de pessoas eram selecionados e divididos em perfis psicológicos/arquétipos afim de atingir certos objetivos, tais como perceber a afinidade (ou a falta dela) em situações de trabalho em grupo. É incrível como uma seleção de pessoas bem feita pode moldar os resultados de um projeto.

O mesmo acontece na seleção dos participantes do programa. Pessoas são escolhidas com um objetivo, só que nesse caso talvez a beleza que alimenta algumas revistas e novelas e, principalmente, o de encontrar indivíduos com alguma predisposição a trazer à tona situações ~~polêmicas~~ que gerem discussões e, principalmente, ibope, que paga o leitinho das crianças.

¯\_(ツ)_/¯

Continuamos de olho… Só me pergunto “até quando?”

Então, não querendo dizer que não se deve discutir e rechaçar a postura do cara (ele é um escroto, e se o seus atos forem comprovados ele deveria ser julgado pela justiça), muito menos tentar mandar no seu controle remoto mas, se ninguém der ibope ou espaço pra esses programas (e essas condutas) ficarem em evidência como algo normal e bom, pode ser que haja tempo e espaço para conteúdos melhores (de qualquer gênero).

Ou não.

Há braços.

Estupro

Só aconteceu porque vocês, espectadores, são cúmplices, ao continuar dando ibope para este chorume, contribuindo para que o autor, financiado por seus partícipes telemidiáticos, incorra na prática do tipo penal.

CÓDIGO PENAL (PARTE ESPECIAL)

TÍTULO VIDOS CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL

CAPÍTULO IIDOS CRIMES SEXUAIS CONTRA VULNERÁVEL

Estupro de vulnerávelArt. 217-A – Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos: Pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.

§ 1º Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.

Não obstante, insta salientar que quem assiste…

CÓDIGO PENAL (PARTE GERAL)

TÍTULO IIIDA IMPUTABILIDADE PENAL

InimputáveisArt. 26 – É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento.

Estamos de olho…

Termos em que pede deferimento.

Beijos.

Categorias

Passado

  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
  • 2008
  • 2007

 

Seguir

Receba atualizações do blog na sua caixa de entrada.

Basta inserir seu email