Estive Dirigindo #05

Estive dirigindo pela “nova” e “velha” Rua Maceió e pela Rua Major Gabriel durante a noite. Essa via tem a vantagem de seguir da Darcy Vargas diretamente até o Centro, ao contrário da Av. Mário Ypiranga Monteiro (antiga Recife) que apesar de mais larga, acaba dependendo da Major Gabriel para finalizar o trajeto para a região mais antiga da cidade.

Logo no começo nos deparamos com um redutor de velocidade (ou será um majorador orçamentário?) com o intuito de alertar os motoristas para a faixa de pedestres logo a diante. A intenção seria nobre não fosse a inclinação da via em ambos os sentidos que em razão das pétreas leis da Física, tende a fazer os veículos tomarem uma velocidade maior. A boa notícia é que com essa verba extra será possível construir uma passarela com rampa e cobertura da chuva no lugar, não é?

Ladeira acima, estamos na chamada Nova Maceió, construída durante a prefeitura de Serafim Corrêa, que a interligou a Velha Maceió com as Avenidas Mário Ypiranga, Darcy Vargas e Efigênio Sales, com o Complexo Viário Miguel Arraes. Ela passa ao lado do Parque Municipal do Idoso, obra daquele que levava o social a sério, Alfredo Nascimento.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #05 em um mapa maior

Infelizmente não pude adicionar o roteiro da parte nova no Google Maps porque mesmo após mais de 5 anos da inauguração do trecho, a região ainda não foi atualizada. Indo em frente, após a rotatória, chegamos à Velha Maceió, que nos leva através do bairro de Nossa Senhora das Graças, até o Cemitério. Passamos ao lado do Reservatório do Mocó também, obra do Governador Eduardo Ribeiro.

Cruzamos a Av. Álvaro Botelho Maia, mais conhecida como Boulevard, e o logradouro automágicamente se transforma em Rua Major Gabriel, descendo através da Praça 14 de Janeiro e suas 14ˆ29 vendas e oficinas de carros. Passamos então ao lado de um dos campi da Universidade Estadual do Amazonas e de um outro grande centro universitário do norte.

Após o cruzamento com a Av. Ramos Ferreira, onde terminou o 3º episódio do Estive Dirigindo, passamos a margear as obras do PROSAMIN e do Parque Estadual Jefferson Péres até chegarmos à Av. Sete de Setembro e terminarmos o passeio em frente à Secretaria Estadual de Cultura e do Palácio Rio Negro, oportuna aquisição do governador, sempre ele, Eduardo Ribeiro.

Estive Dirigindo #04

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

No passeio de hoje, saímos da Compensa em direção ao bairro da Cachoeirinha pelo caminho mais difícil possível… Brincadeira! Ou talvez nem tanto assim…

Primeiro, atravessar os bairros do São Raimundo e da Glória, ocupações antigas que se desenvolveram à margem do Centro da cidade, com soluções de trânsito e transporte pouco inteligentes. Uma pessoa mais desatenta pode facilmente entrar em uma rua que descobrirá vários metros à frente ser contra-mão.

A seguir, entramos no Centro pela Ponte Sen. Fábio Lucena, indo pela Alexandre Amorim até a Luiz Antony, que faz uma curva estranha ao se aproximar da Saldanha Marinho e vai até no porto de lenha

Uma das intenções era pegar a rua mais próxima possível da margem do Rio Negro, talvez para fazer um comparativo com o primeiro episódio do Estive Dirigindo às margens do Rio Solimões, mas num momento de abestalhamento, pegamos a Sete de Setembro até o cruzamento com a Av. Eduardo Ribeiro, no trecho conhecido como “Rua do Relógio”, para o qual, felizmente, há intenção de reforma em breve.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #04 em um mapa maior

Entrando na Marquês de Santa Cruz, fomos avançando bravamente até a Rua dos Barés, onde quase fomos soterrados por uma manada de camelôs que dominou o entorno do Mercado Fantasma Adolpho Lisboa. E a nossa indômita aventura pelo centro parecia dar sinais de que estava chegando ao fim quando de repente: um caminhão encontrou uma vaga para estacionar no MEIO da Rua dos Barés.

Incrível! Eu jurava que aquele lugar era uma rua de livre acesso até bem pouco tempo atrás. Por sorte o vídeo foi gravado antes da vigência da lei que restringe a circulação de veículos pesados no Centro durante o dia e isso em breve será coisa do passado, né tios Arthur e Hiiissa!?

Agora sim, nos aproximamos do fim, ao tomar a Av. Lourenço de Souza Braga, ou Manaus Moderna para os íntimos, que passa por baixo da Ponte do Educandos, pelo lado da cinicamente alegre Cadeia Pública Vidal Pessoa, e por cima das fozes (eu disse FOZES) dos Igarapés do Mestre Chico e do Quarenta para, entre a Santa Luzia e a Cachoeirinha, desaparecer no meio de uma obra inacabada do PROSAMIN… Ô MARAVILHA! Prof. Gilberto Mestrinho ficaria orgulhoso.

Gostaram do passeio?

8 Microcontos

Inspirado em uma série do Prof. Sérgio Freire, microcontos publicados aleatoriamente no Twitter, desde 2009.

MICROCONTO. TENSO. Tensão. Tensão. Tensão. Tesão.

MICROCONTO. INVEJA. Invejava os dois sorrindo. Não queria ela, muito menos ele. Queria o sorriso.

MICROCONTO. LEALDADE. Uma Marisa e uma Mariana… A quem Luiz Eduardo será leal?

MICROCONTO. PRETTY WOMAN. Linda mulher, pare um instante, fale um instante, sorria pra mim. Preciso de você. Te tratarei bem esta noite. Sim.

MICROCONTO. NADA. Era um cara que se jogava de cabeça em tudo o que fazia. Virou nadador profissional.

MICROCONTO. SALVADOR. Tentou salvar o mundo inteiro. Acabou esquecendo de salvar a si mesmo.

MICROCONTO. APRENDIZ. Ele dizia que era um aprendiz. Ela descobriu que era tudo mentira. Da melhor maneira possível.

MICROCONTO. MOTIVAÇÃO. Vivia a vida sem querer. Morreu de propósito.

Meus Podcasts Favoritos

Podcast é como um programa de rádio, mas gravado e disponibilizado para download ou streaming na Internet. Pelo menos foi o que eu expliquei pra minha tia, que me perguntou isso há algumas semanas. Popularizados com a explosão de vendas de iPods na década passada, podcasts e videocasts, vivem nova onda de crescimento com a adoção em massa de sites como SoundCloud e YouTube.

Quando esteve aqui em Manaus, em Março do ano passado, o Thássius me perguntou quais eram meus podcasts preferidos e cheguei a mostrar a ele brevemente algumas das minhas assinaturas no iTunes. Hoje resolvi fazer uma listinha para publicar aqui e compartilhar com vocês também.

Nerdcast

NerdcastAmado por muitos, odiado por outros, o Nerdcast é provavelmente o podcast mais ouvido do Brasil. Comecei a acompanhar lá pelo episódio 39, ainda usando o (saudoso) Google Reader como player até descobrir que podia assinar e receber automaticamente no iTunes, o que provavelmente ajuda a não me incomodar com uma das características pelas quais são mais criticados, que seria o excesso de piadas internas.

O Nerdcast trata de diversos temas, como filmes, livros, séries, jogos e outros assuntos da atualidade, ou não, como biologia e história, estes últimos os meus preferidos. São mais de 350 episódios, dentre os quais eu recomendaria vários, como a entrevista com o dublador Guilherme Briggs (094), a Revolução Russa (202), a Mitologia Grega (205, partes A e B), as invenções de Nicola Tesla e Thomas Edison (216), o livro 1984 de George Orwell (229), a Idade Média (279), biografia de Steve Jobs (280), as conquistas de Napoleão (289), a ascensão de Adolf Hitler (299), Asteróides e Meteoros (351), dentre outros. Mas se for para resumir em apenas 3 que vocês precisam ouvir, seriam estes:

  • NC 080 – A Batalha do Apocalipse
  • NC 186 – Isaac Asimov e seus Escravos Tchecos
  • NC 344 – O Mundo de Walt Disney

Fronteiras da Ciência

Fronteiras da CiênciaProduzido pelo Departamento de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e apresentado por Marco Idiart, Jeferson Arenzon (Físicos) e Jorge Quillfeldt (Biofísico), além da participação de diversos professores e cientistas da UFRGS. O Fronteiras da Ciência é um ótimo canal de divulgação e debates sobre as mais diversas áreas do conhecimento, desde os átomos até as margens do Universo conhecido, desde a biologia até a religião, de forma objetiva e sempre com fortes embasamentos científicos. Todos os episódios merecem o download.

Visão Histórica

Visão HistóricaUma aula de história informal, cheia de dados curiosos sobre diversos eventos históricos do Brasil e do Mundo. A periodicidade se tornou incerta em 2012 e eles passaram praticamente o ano inteiro sem gravar episódios, mas recentemente eles voltaram a produzir novos programas, inclusive com formatos diferenciados. A quem se interessa por história, a recomendação de download se estende a todos os episódios.

Papo Lendário

Papo LendárioConheci através da recomendação do escritor Eduardo Spohr, autor de um dos meus livros preferidos – A Batalha do Apocalipse -, que participou de duas edições do programa, uma tratando da Jornada do Herói e outra de seu primeiro livro. O programa trata de mitologias do mundo inteiro, desde as culturas antigas até a ficção moderna. Recomendo todos os episódios, em especial o Mitologia Apocalíptica da Batalha de Spohr, pela mesma razão que indiquei anteriormente o Nerdcast 080.

MacMagazine no Ar

MacMagazine no ArJá acompanhei por alguns anos um outro podcast de assuntos relacionados à Apple, mas desisti quando eles já estavam chegando a programas de praticamente duas horas de duração com um conteúdo que não demoraria 20 minutos para ser apresentado. Diferentemente daquele, o MacMagazine no Ar tem se mostrado um podcast com conteúdo e discussões mais objetivas, servindo como um bom complemento ao conteúdo do site. Para quem gosta do assunto, me parece a melhor opção. Como a pauta do programa é primordialmente de notícias comentadas, não tenho nenhum episódio em especial para indicar.

Tecnoblog Podcast

Tecnoblog PodcastResumo semanal de notícias de um dos melhores blogs de tecnologia do Brasil, apresentado por Thiago Mobilon, Paulo Higa, Rafael Silva e Thássius Veloso. Pode parecer tendencioso, mas fazendo o devido full disclosure, apesar de minha amizade com o editor-chefe deste site, o Tecnoblog tem de fato várias matérias interessantes e isso acaba reverberando no podcast. Eles passaram vários meses sem gravar, mas voltaram nas últimas semanas. Por se tratar de um site de notícias, não tenho indicação de episódio em especial pelo mesmo motivo da sugestão anterior.

DW – Wort der Woche

Wort der WochePra quem estuda Alemão é interessante ouvir um programa como esse, ensinando toda semana o uso de uma palavrinha nova na língua de Lutero e Goethe. Já acompanhei outras aulas de Alemão por podcasts, mas geralmente eram muito extensas e começavam a ficar cansativas. Produzido pela Deutsche Welle.

**********

Podcasts que não existem mais

Enquanto alguns podcasts sem tanto conteúdo seguem tendo centenas de episódios e milhares de assinantes, alguns bons eventualmente se tornam inviáveis para seus produtores que acabam arquivando o projeto. Seguem três podcasts que eu gostava bastante e que, infelizmente, não existem mais.

The Word Nerds

The Word NerdsConheci este podcast por acaso, ao procurar pelo Nerdcast na iTunes Store. É apresentado por Howard Shepherd, Dave Shepherd e Howard Chang, 3 lingüistas da região metropolitana de Washington D.C., a capital da ofuscação e dos acrônimos, que tratam de vários aspectos da língua Inglesa, de forma muito bem humorada, com um cuidado primoroso de edição, sempre sonorizando o programa com músicas cuja letra remete ao assunto do dia. Teve 120 episódios.

Podbility

PodbilityCriado pela agência publicitária Bullet de São Paulo, o Podbility era um resumo semanal de tendências não só no campo da propaganda, mas também de tecnologia, cultura pop, arte, música, dentre outros assuntos. Enquanto o programa estava na ativa cheguei a ganhar um bottom “Meu nome é estranho” e alguns créditos na iTunes Store por participar de brincadeiras que eles faziam. Teve 185 episódios.

Freakast

FreakastO Pablo Peixoto esteve em evidência durante a copa de 2010, quando fez uma sátira com o filme “Um Dia de Fúria” trocando as falas do Michael Douglas pelas de Dunga e seus infortúnios como técnico daquela seleção inglória, e depois com um mash-up entre as trilogias de Guerra nas Estrelas e Senhor dos Anéis, até que criou o videolog Qu4tro Coisas sobre o qual falarei em um próximo post, sobre videocasts. Comecei a acompanhar seu trabalho como curador de boas músicas quando apresentava o Freakast, que me apresentou a diversos clássicos do rock mundial além de diversas curiosidades. Infelizmente teve apenas 18 episódios.

**********

Ainda não adquiri o hábito de ouvir podcasts pelo SoundCloud, que já tem até app pra iOS e Android, mas sei que tem muito conteúdo sendo produzido por lá. Não tenho nenhuma indicação de canal além do meu pessoal, onde armazeno eventuais arquivos de áudio que complementam meus posts, mas recomendo a exploração.

Estou preparando um outro post sobre os videocasts que eu tenho acompanhado nos últimos tempos e, enquanto isso, me digam quais os podcasts que vocês mais gostam?

Subtotal 2012

Vamos à checklist dos melhores momentos do ano em que a Terra não acabou.

O ano começou com uma viagem para a Alemanha, que eu registrei na série Velho Continente, que demorou um pouco a ficar pronta. Lá pude praticar meu Alemão, aprendi a esquiar e comi muito chocolate.

No fim de Março recebi em minha casa a ilustre visita do amigo Thássius, que aproveitou a vinda a Manaus para a cobertura de um evento para o Tecnoblog.

Em Abril, recebi a notícia da convocação para tomar posse em um cargo para o qual fiz concurso em 2008. Sim, faltavam algumas semanas para prescrever. Graças ao email do Dr. Hidemberg Frota, com quem tive o prazer de trabalhar anos antes na Assessoria Jurídica da SUSAM, fiquei sabendo a tempo para fazer os exames admissionais, já que estava com passagens compradas para viajar para os EUA.

Fui aos EUA com minha mãe no fim de Abril, para prestigiar o casamento da minha avó americana, D. Ardis, que assim como a Barbie, encontrou um Ken em sua vida.

Voltei pra Manaus, tomei posse no Ministério Público, com a chancela do Dr. Evandro Paes de Farias, que me deu as boas vindas à Família do MP. Comecei a trabalhar em uma promotoria especializada na defesa do consumidor, mais especificamente nas questões de planos de saúde E de transporte público, o que foi ótimo para alguém que já vinha realizando alguns projetos sobre esse assunto (mais sobre essa parte a seguir). O mais legal foi que conheci um grupo de gente bacana que não apenas trabalha bem como também sabe se divertir juntos. São os amigos do Conselhinho.

Em Junho resolvi comprar novamente meu próprio domínio, importei meu blog antigo, aliás, importei conteúdo de diversos blogs e serviços de hospedagem que eu havia abandonado há tempos, centralizando todas as besteiras e eventuais coisas interessantes que produzi na Internet neste único endereço. Tudo isso, graças à ajuda do Ayrton “Freeman” Araújo que me ajudou a por tudo em ordem.

Voltando ao assunto do transporte público, em Novembro, depois de quase 1 ano de produção e revisões, finalmente saiu a primeira edição do Manual Ônibus Manaus, o guia impresso com o conteúdo do site Ônibus Manaus, desenvolvido pela galera esperta do Trânsito Manaus, que faz a diferença nessa cidade.

Dia 21 de Dezembro o mundo não acabou e agora que o ano se encerra, estou me preparando para uma nova viagem. Vou ser guia turístico da minha namorada pelos EUA. Finalmente passar mais que 8 horas em Nova York, além de rever alguns dos meus lugares preferidos em Washington e Orlando. E comprar um brinquedinho novo.

Esse ano eu li menos do que gostaria, continuei estudando Alemão mesmo depois da viagem, precisei parar o curso de Francês no finalzinho do ano, mas vou retomar no ano que vem, comecei uma Especialização em Direito Público, onde pude encontrar amigos do Bacharelado e assistir aulas de professores incríveis como Antônio Carlos da Ponte e Luiz Alberto David Araújo, dentre outros, palestrei pelo Trânsito Manaus em um evento na Bemol, escrevi mais para o blog que a média dos anos anteriores.

E ainda perdemos o grande arquiteto do Universo: o Niemeyer – que de tão antigo, a linha do tempo da vida dele, assim como a Mitologia Grega, começou no Caos (pode conferir no site).

Desculpas a quem eu dei menos atenção do que deveria, pois infelizmente ainda não encontrei a poção da onipresença. Obrigado a todo mundo que esteve por perto, que me ajudou e apoiou para realizar as coisas que conquistei nesse ano. E principalmente, obrigado a você.

E não há tempo que volte, amor, vamos viver tudo que há pra viver…

Feliz 2013.

Conservação

Uma colega pede emprestado meu carregador de celulares da Apple. Um colega presta atenção na cor amarelada do cabo e comenta:

– “Achei que você cuidasse bem das suas coisas… Esse cabo aí tão amarelo…”
– “Eu uso esse cabo desde 2006. É daqueles que tem a travinha manual ainda.”
– “Realmente, está muito bem conservado! Como é que você fez isso?”

E o mundo não se acabou…

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Então, Paula Toller, cante pra gente uma trilha sonora oportuna…

**********

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso, minha gente lá de casa, começou a rezar
E até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite, lá no morro, não se fez batucada

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando de aproveitar
Beijei a boca de quem não devia
Peguei na mão de quem não conhecia
Dancei um samba em traje de maiô
E o tal do mundo não se acabou

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso, minha gente lá de casa, começou a rezar
Ainda disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite, lá no morro, não se fez batucada

Chamei um gajo com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele mais de um quinhentão
Agora eu soube, que o gajo anda
Dizendo coisa que não se passou
E, vai ter barulho, e vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar…

Ronda nas Estrelas

Essa semana fui deixar minha mãe no aeroporto e me deparei com uma cena curiosa. Um veículo do Programa Ronda nos Bairros estava estrategicamente posicionado em um canto do estacionamento, acompanhando toda a movimentação ao redor com sua câmera em high-definition posicionada para o… ESPAÇO.

Ronda nas Estrelas

Foi então que percebi o quanto a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas está na vanguarda em relação ao resto do Programa Espacial Brasileiro. Como podemos ver nos jornais (aqui e aqui – e aqui também), enquanto os cientistas de Alcântara e da Barreira do Inferno estão lutando para colocar algum satélite brasileiro em órbita, e os pesquisadores do nosso querido SIPAM estão tentando prever quando teremos o próximo furacão baré pelo menos uns 15 minutos antes do desastre, as centenas de veículos do Programa Ronda nos Bairros já estão cuidando da segurança espacial do Amazonas.

Tudo isso usando apenas 250 milhões de Reais de orçamento. Comparativamente um programa de exploração espacial da NASA como o Mars Science Laboratory, de que faz parte o veículo Curiosity, que está explorando o solo marciano, está custando 2,5 bilhões de Dólares aos cofres públicos estadunidenses. Isso é 20 vezes mais do que o Governo do Amazonas está investindo na segurança do espaço aéreo de Manaus (e futuramente das principais cidades do estado).

Agora tornando a falar sério, o Programa Ronda nos Bairros (nome este que nada mais é que um slogan de uma estratégia de atuação que deveria ser o padrão desde sempre), merece o nosso reconhecimento, caso os índices de criminalidade na capital estejam, de fato, reduzindo, posto o fato de que, conforme relatório da ONG Consejo Ciudadano para la Seguridad Pública y Justicia Penal A.C., Manaus figura como a 26ª cidade mais perigosa do mundo.

E utilizar as câmeras corretamente, seguindo as instruções da Secretaria de Segurança Pública, que são de posicionar a câmera sempre à frente para que se possa registrar adequadamente as abordagens e até mesmo o trânsito, dados estes que auxiliam o trabalho do CIOPS, é um procedimento importante no trabalho de redução desses índices. Ou pelo menos de fazer valer o maior investimento em infraestrutura de segurança já realizado pelo Governo do Estado.

Da nossa parte, resta denunciar e cobrar o procedimento correto. Os telefones da Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública são 3216-3775 e 3216-3776, e o email é [email protected] .

Como Proceder: Pisando na Lua

Ou “O dia em que fui Neil Gagarin Armstrong”.

Em 2004 a diretora do colégio em que eu estudava organizou um evento que ficou conhecido como a Gincana das Cores. O evento era composto de uma campanha de arrecadação de alimentos, livros e roupas; atividades esportivas; e uma “surpresa” de cada equipe.

As equipes eram formadas por séries mistas em esquemas como:

  • 3º ano, 7ª e 3ª séries. (Amarelo)
  • 2º ano, 6ª e 2ª séries. (Vermelho)
  • 1º ano, 5ª e 1ª séries. (Azul)
  • 8ª, 4ª e Alfa. (Verde)

Dentre as diversas lembranças que tenho daquele evento, desde o mítico caminhão de alimentos até a quase genocida “surpresa” da Equipe Vermelha, acabo de trazer à tona, diretamente das profundezas do meu HD, o roteiro (cheio de furos histórico-científicos, eu sei), as imagens e o áudio da “surpresa” da nossa equipe, a Azul.

A surpresa deveria ser uma apresentação com duração de 5 minutos que exaltasse a cor de cada equipe. Durante o brainstorm do nosso grupo, surgiu a ideia de fazer uma encenação de uma missão espacial. Dê o play e acompanhe.

**********

Baseado em fatos reais.

Após 10 anos de esforços, pesquisas e testes, a missão teve início às 9 horas e 32 minutos, do dia 16 de Julho de 1969. Impulsionado pelo gigantesco foguete Saturno V, partindo do Centro Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, Florida, o Apollo XI, batizado de “Águia”, com 110m de altura e pesando 3 toneladas, foi lançado ao espaço. Alguns minutos antes da decolagem…

 Base para Águia. Tudo O.K.?
 Sim Houston. Tudo checado e pronto para partir.
 A viagem vai durar 125h18m.
 Sim. Sem problemas.

 Iniciar contagem regressiva. 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1…

SHHHHHHH

 Base para Águia. Dentro de alguns minutos vocês vão sair da órbita da Terra.
 Positivo.
 Daqui a pouco perderemos contato. Aí é com vocês.
 O.K. Entramos em contato quando chegarmos na Lua.

A bordo da Apollo XI estavam Neil Armstrong, comandante da missão, Michael Collins, piloto do módulo de comando, e Edwin Buzz Aldrin, piloto do módulo lunar.

 A Águia pousou.

(Trilha sonora de 2001 – Uma Odisseia no Espaço)

Às 22h56m a cabine foi despressurizada para que Neil Armstrong abrisse a escotilha, descesse os 9 degraus da escala e, ao estender o pé esquerdo, apalpou o chão firme e poroso, e depois deixou-se ficar de pé. Era o primeiro homem a pisar na Lua. Durante 2h30m os astronautas percorreram a superfície lunar coletando informações sobre a Lua.

 It’s one small step for man,…
 É um pequeno passo para um homem,…
 …But a giant leap for mankind.
 …Mas um grande salto para a humanidade.

 Conte, Armstrong, o que você está vendo!
 Nossa, é incrível andar aqui. Magnífico! É coisa mais linda que eu já vi. As estrelas, os planetas, com seus diferentes tamanhos. O Sol. O Universo é demais! A Lua é linda. Mas há algo que me chama mais atenção, com a sua indescritível beleza…
 Fale!
 Houston… A TERRA É AZUL!

**********

Ao mesmo tempo que fazíamos a encenação, um globo era alçado no alto da quadra para contextualizar a visão com a perspectiva da Lua.

Sim, o áudio é tosco, mas era o que eu sabia fazer em 2004. Mesmo assim, me arrepio sempre que ouço minha voz distorcida gritando que a Terra é Azul(!) junto ao ápice de Então Falou Zarathustra. Sim, quem falou “A Terra é Azul” foi, na verdade, o cosmonauta soviético Iuri Gagarin, primeiro homem a ir ao espaço, em 12 de Abril de 1961, 8 anos antes de Neil deixar sua histórica pegada na Lua. Sim, existem teorias que “comprovam” que o homem nunca foi à Lua.

Whatever, a Equipe Azul foi a grande campeã da Gincana das Cores! \o/

Escrevi sobre essas lembranças porque hoje, 25 de Agosto de 2012, 19 dias depois do pouso da Curiosity em Marte, faleceu Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na Lua.

Dedico este post à memória de um dos heróis da exploração espacial. E que o conhecimento que temos hoje sobre o que existe fora da Terra seja apenas um pequeno passo da caminhada da Humanidade pelo Universo.

Escrito ao som de Also Sprach Zarathustra, de Richard Strauss, interpretada por Eumir Deodato, em 1972.

Patentes

Seguindo a tradição de constantes batalhas judiciais em vez de batalhas apresentando produtos inovadores, em 2013 a Apple processa a Samsung pelo uso do nome Galaxy S-IV, claramente plagiado do iPhone 4S. A Samsung argumenta perante o tribunal que as patentes do numeral 4 e da letra S são essenciais e não discriminatórias e que a Apple não tem direito sobre elas.

Apple contra-argumenta que desde o lançamento do Apple II-GS, de 1986, ela tem patentes registradas de nomes de produtos com diferenciação de gerações por números e letras. A Lenovo ingressa na ação apoiando a Samsung, argumentando que sempre usou nomes feios cheios de letras e números, desde a fundação da IBM em 1911.

A Maçã perde a ação e retira letras e números como forma de diferenciação de gerações dos produtos. Passa a chamar de “novo” (insira nome de iProduct aqui).

Em 2014 a Apple processa a Samsung pelo uso do nome New Galaxy, claramente plagiado do New iPhone, lançado no 2º semestre de 2012. A Samsung argumenta que as patentes do que é novo são essenciais e não discriminatórias e que a Apple não tem direito sobre elas. Apple contra-argumenta que tudo o que é novo já foi previsto e patenteado por ela, conforme documentos assinados por Steve Jobs em 1997.

Todas as principais empresas de tecnologia se aliam à Samsung e derrotam a Apple nos tribunais. Apple entra com recurso.

Antes mesmo da apreciação do recurso, Apple compra Google e encerra desenvolvimento do Android, golpeando mortalmente a plataforma que Jobs ameaçou destruir com uma guerra termonuclear. Fabricantes de celular, temendo a dominância da Apple no setor, pedem socorro à Microsoft.

Apple perde o recurso e é condenada a pagar US$ 50 bi ao consórcio de empresas encabeçadas pela Samsung que a processou.

Em 2015 a Microsoft, apoiada pelas fabricantes de celulares, entra com ação contra a Apple acusando-a de monopólio. Apple argumenta que patentes de monopólio, datadas da época do lançamento do Windows 95, pertencem à Microsoft. Microsoft contra-argumenta com gráficos de market share de computadores de 1984, época em que ela plagiou o System do Macintosh, mostrando que a Apple criou monopólio muito antes.

Microsoft vence ação contra a Apple e financia a retorno do desenvolvimento do Android, agora apenas um repositório de funções a serem implementadas no futuro Windows 9.

Em 2016…

Apple vs. Samsung

Patentes. Sendo usadas por idiotas para atrapalhar a inovação desde Thomas Edison.

**********

Atualização em 11/08/2012.

No mesmo dia em que escrevi os tweets que deram origem ao texto acima, o vídeo abaixo, gravado em Junho, foi publicado no canal do TED no YouTube. A mesma mensagem, remixada. Vejam.

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Categorias

Passado

  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
  • 2008
  • 2007
Seguir

Receba atualizações do blog na sua caixa de entrada.

Basta inserir seu email