Estive Dirigindo #10

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Estive dirigindo pela Avenida Buriti, a principal via de acesso às empresas do Distrito Industrial e Avenida Autaz Mirim, a principal avenida da Zona Leste, percorrendo em de norte a sul toda a sua extensão.

Primeiramente, a Av. Buriti, cujos trabalhos de construção se iniciaram em 1967, por ocasião da instalação da Zona Franca de Manaus. Ela realiza o percurso da Rotatória da Suframa até a Rotatória do Armando Mendes, passando por algumas das principais indústrias do Polo Industrial. Infelizmente existe grande discussão entre as três esferas do Executivo, a respeito da atribuição da manutenção do local, o que causa grande precariedade em sua estrutura.

Após a Rotatória do Armando Mendes, fizemos uma conversão para entrar na Av. Autaz Mirim, conhecida também como Av. Grande Circular. Construída também em decorrência da expansão industrial e populacional na Zona Leste da cidade, acabou se tornando a via da região, sobretudo por concentrar a maior parte do comércio e serviços.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #10 em um mapa maior

No cruzamento com a Alameda Cosme Ferreira, temos o Complexo Viário Eng. Luiz Augusto Veiga Soares, em vistas de desafogar o tráfego na região da antiga Rotatória do São José, um dos locais de maior intensidade de tráfego da cidade. No canteiro central da avenida, todas as paradas de ônibus do sistema Expresso, parcial ou totalmente danificadas.

Quase encerrando o trajeto, passamos ao lado do Fórum Virtual Azarias Menescal de Vasconcelos, onde tive a oportunidade de trabalhar por um ano e obtive importantes experiências de aprendizado. Aprendi também diversos atalhos para escapar de engarrafamentos na região.

Gostaram do passeio?

Estive Dirigindo #09

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Estive dirigindo pela Avenida do Turismo, nome pelo qual ficou conhecida a Rodovia AM-450, que liga a rodovia AM-010 e a Av. Santos Dumont (Estrada do Aeroporto) à Praia da Ponta Negra.

Partimos da Praia da Ponta Negra, entrando à direita na rodovia. Pelo trajeto, grandes empreendimentos imobiliários em construção, assim como diversas opções de entretenimento questionáveis. Há também o Cemitério Parque Tarumã, o maior da cidade.

Na parte central do trajeto a floresta preservada à direita pertence ao terreno do aeroporto, área federal, o que talvez explique porque não foi ocupada indevidamente, como parece ter sido o caso de alguns espaços depois do cruzamento com a Av. Santos Dumont.


Exibir mapa do episódio Estive Dirigindo #09 em um mapa maior

Após este cruzamento, temos à direita o SIPAM e o CINDACTA 4, responsáveis pelo monitoramento espacial do Amazonas e pelo controle de tráfego aéreo de boa parte da região Norte. Passamos sobre a poluída Cachoeira do Tarumã, que está na checklist do Arthur como um espaço que será revitalizado.

Ao passar na curva onde fica a entrada para a Vivenda Verde é triste ver o Tarumãzinho poluído, onde ainda tive o privilégio de tomar banho na infância. Por fim, encerramos o circuito no cruzamento com a Av. Torquato Tapajós, próximo ao centro de treinamento do DETRAN e da Expoagro.

Gostaram do passeio?

Enchente de 2013

Enquanto não temos veículos adequados para a realidade da região, como esse ou esse, começa um novo ano, começa uma nova estação das chuvas, surpreendentemente acontece uma nova enchente no Amazonas.

Pessoas vão à mídia reclamando que prefeituras e governo não fazem nada para evitar as perdas que o problema causa. Prefeituras e governo vão á mídia alegando que não conseguem fazer nada enquanto não decretam estado de emergência que, dentre outras coisas, possibilita a realização de obras sem necessidade de licitações.

Correndo por fora dessas situações, acho interessante, e também engraçado, confesso, destacar o trabalho do Promotor Guimarães Neto, que mantém o estilo e o devido andamento das diligências, apesar das dificuldades que a cidade de Anamã, a 129km de Manaus, enfrenta por ter crescido em uma região anualmente atingida pelas cheias. Abaixo, matéria publicada no portal do MP, em 22 de Maio de 2013.

Promotor João Ribeiro Guimarães Neto, chegando para mais um dia normal de trabalho na sede do Ministério Público de Anamã, AM.

**********

ANAMÃ: Enchete ainda não prejudica trabalho da promotoria

De acordo com informações do Promotor de Anamã, João Ribeiro Guimarães Neto, a água está chegando próximo ao fórum, mas quase todos os órgãos públicos já foram atingidos pela enchete. Apesar do transtorno, os trabalhos do MP-AM no município ainda não foram prejudicados.

“O foco da Promotoria neste momento é a orientação sobre o trânsito de embarcações pelas vias públicas. Pedimos que as famílias tomem cuidado e não deixem seus filhos menores conduzirem essas embarcações. Gostaria de orientar também que, em mesmo se a água invadir o fórum, nosso trabalho vai continuar. Vamos construir marombas para não prejudicar o andamento dos processos”, disse o Promotor.

Estive Dirigindo #08

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Estive dirigindo do Complexo Viário Gilberto Mestrinho até a Av. Constantino Nery e o trajeto foi um dos principais corredores Leste-Oeste da cidade: Av. André Araújo, Rua Salvador e Rua João Valério. Só que durante dia de Domingo, pra economizar memória da câmera.

Logo no começo, um probleminha que se percebe ao entrar na Av. André Araújo é que tanto a alça inferior que vem da Av. Rodrigo Otávio quanto o acesso de quem vem da rotatória têm duas faixas cada, e se você está lendo até aqui deve saber que 2 + 2 costumam ser 4 (a não ser que estejamos na Oceania), enquanto a Av. André Araújo tem duas faixas ao todo para receber essa demanda, o que resulta em singelos embates às 6 da tarde de uma Sexta-feira, ou a qualquer momento na nossa programação.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #08 em um mapa maior

Mais à frente tem a saída da Rua Paulo IV, uma das principais vias de acesso e saída do bairro de Petrópolis, já percorrida no Estive Dirigindo #03. Achegando à Bola da SEFAZ, com o trânsito tranquilíssimo, comparado ao que acontece por ali durante o fim de semana, cruzamos a Av. Jor. Umberto Calderaro Filho, antiga Av. Paraíba, onde segundo a Lei Municipal 1.166/2007 futuramente haverá um Viaduto Tancredo Neves, conf. Claudemir, apud. Trânsito Manaus.

Daí vem os cruzamentos com a Av. Mário Ypiranga Monteiro, antiga Av. Recife, parcialmente apresentada no Estive Dirigindo #06 e Rua Maceió, totalmente percorrida no episódio #05 da referida série. Então entramos na Rua João Valério, passando ao lado do QG secreto do Trânsito Manaus, e cortando o Vieralves, o conjunto residencial (segundo a delimitação da prefeitura) com a maior concentração de comércio que eu já vi. E pra encerrar, cruzamos a Av. Djalma Batista e chegamos ao destino.

Gostaram do passeio?

Caos na Ponta Negra

Esse post não é sobre ataques de enxames de jacarés, alcateias de galerosos ou afogamentos coletivos.

Ouvi rumores de que o Shopping Ponta Negra seria inaugurado dia 10 de Junho, estratégica e tempestivamente pensado com vistas ao Dia dos Namorados. A notícia é boa, são mais alternativas de compras, gastronomia, entretenimento e lazer pra cidade, mais salas de cinema, novos restaurantes, uma outra grande rede de livrarias nacional para concorrer com a Saraiva, e talvez fazer a Concorde despertar da letargia em que se encontra, concorda?

O que me deixa apreensivo quanto ao novo lançamento, não só comercial, como grande condomínio residencial e complexo de negócios ao redor, é a inevitável sobrecarga de veículos sobre a malha viária na região. É sabido que a Ponta Negra sofre um forte estrangulamento na Av. Cel. Teixeira, já que é praticamente a única opção para quem mora na região.

Shopping Ponta Negra, projeção para 2013

Não vejo, além de dois retornos tortos e super-faturados, construídos pela administração anterior, e atualmente em reforma pela nova administração municipal, nenhuma grande obra que vise amenizar o impacto, não só do shopping, como também dos empreendimentos imobiliários que o orbitam.

É importante observar casos positivos e negativos decorrentes da criação de grandes empreendimentos, como quando o Amazonas Shopping foi construído, o então prefeito Arthur Neto exigiu como medida de compensação ambiental que o estabelecimento arborizasse as Avenidas Darcy Vargas e Efigênio Sales.

Amazonas Shopping, após a inauguração em 1991

Com a construção do Studio 5 Mall, a prefeitura adiantou-se a preparar um grande recuo na frente do shopping, evitando que os carros que trafegam em baixa velocidade para entrar ou sair do centro comercial estrangulassem o tráfego da Av. Rodrigo Otávio.

Studio 5 Mall, após a ampliação do centro de convenções

O TvLândia Mall, ao se metamorfosear em Manaus Plaza Shopping e executar uma obra que chegou praticamente à beira da Av. Djalma Batista, não deixou um recuo devido para a parada de ônibus que figura em sua entrada. Parada esta que antes do empreendimento, estava 300 metros antes, próxima a uma passarela, e possuía com um espaçoso recuo para 5 ônibus. Desde então o ManausTrans precisa dedicar um agente para ordenar a área todos os dias.

Manaus Plaza Shopping, após a última reforma

O Shopping Manauara, o maior shopping do planeta, pois vai de Recife até a Paraíba, trouxe duas circunstâncias dicotômicas (beijo, Marília Gabriela): a primeira, positiva, é que trouxe duas vias a mais para o trânsito entre as Avenidas Mário Ypiranga Monteiro e Jor. Umberto Calderaro Filho. Entretanto, a segunda foi ter demorado ANOS para providenciar as devidas passarelas. A passarela da Mário Ypiranga de forma prática, mas a da Umberto Calderaro, de forma conflituosa, sendo resolvida apenas na Justiça.

Shopping Manauara, antes da instalação da grade adestradora

Nesse caso específico, por meses me perguntei o que custaria uma negociação com o vizinho Carrefour e o conjunto à sua frente, que oferecia um espaço bem mais adequado para a necessária obra. Duvido que haveria oposição das partes. E pra fechar com chave de golden shower, ainda adveio profunda tristeza ao ver seres bárbaros que se recusam a usar passarela, feita com tanto carinho, provavelmente achando que é uma mera cobertura para o sol. Darwin os manda abraços fraternos.

Voltando ao Shopping Ponta Negra, acho que vocês já sacaram né? Não há paradas de ônibus na região com capacidade para muitos veículos e passageiros, pelo menos até agora. Não há passarelas em construção, já que devem estar crentes que 100% dos usuários de transporte coletivo que chegarem até o shopping virão do Centro e moram na Alameda Alaska.

Parada de ônibus, com um belo adesivo

Antes que venham me dizer que este será um shopping elitizado e que não necessita desse tipo de cuidados, basta passar em frente ao Condomínio Ephigênio Salles às 6 da tarde para ver o batalhão de funcionários que se espreme em duas ínfimas paradas sem recuo. Aliás, tá na hora do condomínio e a prefeitura cuidarem dessa questão. Motoristas e usuários do transporte coletivo agradecem.

O encerramento deste texto é, na verdade, apenas para falar mais do mesmo: vão esperar o caos para pensar no que fazer. Vão esperar o engarrafamento para fazer um recuo para ônibus. Vão esperar o atropelamento para fazer a passarela. Vão esperar outro atropelamento para fazer uma cerca elétrica adestrando bárbaros a usar uma passarela como algo mais que uma cobertura para o sol. Essa tem sido a regra e não a exceção. E desafio a me provarem que estou errado.

Estive Dirigindo #07

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Estive dirigindo da Marina do Davi até a CEASA, tentando realizar um percurso que fosse ao mesmo tempo curto, mas que não exigisse muitas conversões nem pegasse tanto engarrafamento. A escolha pela Boulevard não foi exatamente uma das melhores, mas até que o tempo foi razoável.

Saindo da Marina do Davi, pegamos a Av. Cel. Teixeira, também conhecida como Estrada da Ponta Negra, graças à praia que passamos logo a seguir. Deste ponto até a interseção com a Av. Brasil, achei interessante destacar o lugar onde será o Shopping Ponta Negra, cuja inauguração foi prometida para este ano.

Assim como reclamei no post sobre a Av. das Torres, um empreendimento como esse causará uma série de outros estabelecimentos menores orbitando a região e as intervenções viárias ainda são muito tímidas e provavelmente serão insuficientes quando o movimento de verdade começar. Basta notar a falta de paradas de ônibus com recuo e passarelas: vão lembrar de construir depois do shopping inaugurado, como o que aconteceu com o Manauara, anotem aí.

Passando a Igreja da Restauração, entramos na Av. Brasil, onde logo à direita temos a Sede do Governo Estadual e a entrada para a Ponte Sobre o Rio Negro, essa, percorrida no Estive Dirigindo #01, a partir do minuto 2:32.

A Av. Brasil passou por uma grande maquiagem há uns três ou quatro anos, ganhando calçadas levemente mais niveladas, um canteiro central levemente padronizado e as árvores que encobrem o leito do Igarapé do Franco foram, OK, bastante podadas. Foi um passo importante para trazer alguma ordem à avenida que abriga as sedes dos governos estadual e municipal.

Para ficar ideal, entretanto, falta construir recuos para as conversões à esquerda, recuos para as paradas de ônibus e a proibição total do estacionamento na faixa da direita. Aliás, o bairro da Compensa carece mesmo é de um terminal de integração de transporte coletivo, mas isso eu pretendo explicar futuramente em um post especial.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #07 em um mapa maior

Dando prosseguimento ao passeio, é importante frisar que a intervenção na parte oriental da Av. Brasil, padronizando os acessos entre ela e a Boulevard em decorrência do PROSAMIN foi de bom gosto. Além, é claro, da construção de um centro de atenção ao idoso que é algo sempre bem-vindo.

Atravessando o Igarapé da Cachoeira Grande, chegamos à Av. Álvaro Maia, mais conhecida como Boulevard, um exemplo de arborização (que é o que caracteriza um bulevar), de largura das faixas e de… bem, eu gostaria de poder dizer que o trânsito fluiria bem na Boulevard, mas ela sofre com o projeto falho do Viaduto Jornalista Josué Cláudio de Souza que conta com um semáforo para entrar e outro para sair.

Superado o semáforo, entramos à direita na Av. Prof. Marciano Armond, ainda conhecida por muitos como Rua Belém, que de metamorfoseia na Av. Carvalho Leal, endereço do campus de Odontologia da UEA.

Aí por uma questão de permissões e proibições de conversões em determinados cruzamentos, dobramos à esquerda na Tefé, à direita na Borba e à esquerda na Silves, que também é conhecida como Av. Costa e Silva após passarmos sobre o Igarapé do Quarenta.

Por fim, tomamos a Bola da Suframa, no Distrito Industrial, ladeando o Memorial dos Povos da Amazônia, até entramos no primeiro quilômetro da Av. Min. João Gonçalves de Araújo, ou BR-319, aquela que supostamente liga Manaus ao Brasil, para encerrarmos o trajeto no porto da CEASA, com uma visão distante do Encontro das Águas.

Vou encerrando por aqui, pois o vídeo ficou grande assim como este texto. Gostaram do passeio?

Como Proceder: Explicando a memória RAM

Precisava trocar a memória RAM do computador. Minha mãe, preocupada com o risco de me ver destrinchando a máquina pra efetuar a troca e na dúvida sobre qual a importância de um procedimento desses, perguntou o que isso ia mudar.

Expliquei que a memória RAM era como a mesa onde uma criança brinca: a criança seria, no caso, o processador do computador. Quanto maior a memória RAM, maior é o espaço que a criança tem pra brincar. Maior também, é a quantidade de brinquedos com que ela conseguiria brincar ao mesmo tempo.

Memória RAM

Apenas pra finalizar o raciocínio – se algum dia você também precisar explicar essa analogia – poderia expandir dizendo que o HD do computador é o armário onde a criança guarda todos os seus brinquedos. E o brinquedos da criança são, exatamente, os programas que o processador executa.

Já precisou dar uma explicação semelhante?

Estive Dirigindo #06

ARVE Error: id and provider shortcodes attributes are mandatory for old shortcodes. It is recommended to switch to new shortcodes that need only url

Nas reuniões dominicais do Trânsito Manaus constantemente discutimos formas de criar um conteúdo relevante para quem quer se deslocar em Manaus. Seja informando as ocorrências do trânsito como engarrafamentos e acidentes pelas redes sociais, seja com um site de busca de itinerários de transporte coletivo que acabou se transformando em um guia impresso, seja chamando a atenção dos governantes para os problemas do trânsito e cobrando soluções.

Aí entre um franccino e outro surgiu a ideia de aproveitar o formato do Estive Dirigindo para produzir um conteúdo novo para o Trânsito Manaus: uma série de vídeos mostrando, do ponto de vista do motorista, o melhor caminho entre um ponto e outro da cidade.


Exibir trajeto do episódio Estive Dirigindo #06 em um mapa maior

Nesse vídeo fiz uma experimentação simples, apresentando o trajeto da Estação Rodoviária de Manaus até o Shopping Manauara, através da Av. Mário Ypiranga Monteiro (antiga Av. Recife). À medida em que a ideia for tomando rumo, vou compartilhando por aqui.

Gostaram do passeio?

Democracia e Impunidade

Fui surpreendido negativamente na manhã da segunda-feira com uma imagem compartilhada nas redes sociais, acompanhada de um link para o documento com a conferência de assinaturas na votação pelo andamento da PEC 033, que condiciona o efeito vinculante de súmulas julgadas pelo Supremo Tribunal Federal à aprovação pelo Poder Legislativo e submete à chancela do Congresso Nacional a decisão sobre a inconstitucionalidade de Emendas à Constituição.

Essa proposta de emenda é, basicamente, um passo (largo) em direção à desestabilização do sistema de tripartição dos poderes, aquele proposto por Montesquieu que nos ensinaram nas apostilhas de Introdução ao Estudo do Direito, em vigor em nosso país e em diversos países livres, democráticos, desenvolvidos, ou que pelo menos almejam sê-lo.

Mais triste que isso é perceber, não só que essa atroz proposta existe, como também, que ela conta com o apoio de 5 dos 8 deputados da bancada do Amazonas. Isso mesmo, vocês que votaram no Henrique Oliveira, Carlos Souza, Rebecca Garcia, Francisco “Mestre dos Magos” Praciano, Pauderney Avelino (eu incluso neste último grupo), assinaram uma procuração para que eles apoiem esta ameaça de atentado contra nossa cambaleante Democracia.

Ato Público contra a PEC 037

O que acho irônico, no caso dos dois últimos, é que duas semanas atrás estavam dando entrevistas à mídia, defendendo a Democracia, a Moral e os Bons Costumes, em um ato público no MPE-AM contra a PEC 037, a.k.a. PEC da Impunidade – a que retira dos Ministérios Públicos e demais poderes autárquicos, o poder de investigação, restringindo esta capacidade apenas às Polícias Federal e Civil dos Estados.

Quer dizer que se a Emenda Constitucional é para conceder maiores poderes ao Congresso não tem problema sambar na cara do Judiciário, atando seus pés e mãos ao jugo dos parlamentares, só porque Ártemis está vendada? Quero crer que tenha havido uma mudança de opinião destes excelentíssimos senhores de Maio do ano passado pra cá e que o discurso atual, de defesa da Democracia, seja o que pautará suas escolhas até o fim da legislatura.

Categorias

Passado

  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
  • 2008
  • 2007
Seguir

Receba atualizações do blog na sua caixa de entrada.

Basta inserir seu email